Apinayé

Vocabulário Apinayé (Apinagé, Apinajé)

Língua do Tronco Macro-Jê > Família Jê

[colhido por Jorge Hurley com o “amerába apinagé” Pemotchó, batizado com o nome de Apollinario da Silva, da aldeia Botica, vizinha da taba Boa Vista, no rio Tocantins]

Português		  Apinayé

Pai			- Ipãma
Mãe			- Inã
Filho			- Icrá
Filha			- Indê
Menina			- Umbú
Homem			- Hapitóro
Mau			- Omindúe
Tigela			- Comitchó
Açaí			- Cambêirê
Pimenta			- Póli
Assar			- Olé
Banana comprida		- Pitutú
Diabo			- Omindúe
Cabeça			- Ican
Perna			- Ité
Unha			- Nicóbo
Orelha			- Iambága
Branco			- Có-é-cáe
Dois			- Aclúro
Cinco			- Aclúro-né-aclúro-puitii
Tabaco			- Cáli
Azedo			- Váa
Comida			- Pápúcu
Canoa			- Póri
Anta			- Cuclite
Mutum			- Blêumbôindi
Galinha			- Canglê
Cutia			- Cuquei
Flecha			- Crúa
Árvore			- Pin
Peixe			- Pébe
Beiju			- Tiúgúpu
Sabão			- Mêingaônintio
Ele			- Caá-Táme
Santo			- Megáno
Candeeiro		- Candêpôintio
Vamos ao banho		- Prumontiuá
Vamos dançar		- Puanglé
Tu queres		- Cocá apiu
Enxada			- Cobe
Mulher			- Hapleide
Bom-dia			- Négalinio
Boa-noite		- Nêramuclí
Boa-tarde		- Aríni
Sol			- Umbure
Lua			- Burbulê
Faca			- Vapó
Almoço			- Panamona apucú
Açúcar			- Canclãn
Limão			- Lanlan-inlê
Cozido			- Naracáu
Banana pequena		- Pitú-chlê
Noite			- Nagáambora
Boca			- Iacóa
Mão			- Icrá
Pé			- Ipague
Cabelo			- Iquin
Caboclo			- Có-aubligue
Três			- Aclúro-né-puitii
Fogo			- Cuú
Cigarro			- Ticá
Amargo			- Ouôù
Bebida			- Paieon
Saracura		- Quêntó
Anta macho		- Cuclite umbú
Jacu			- Boutem
Capivara		- Bliti
Paca			- Ingra
Fio de ares [arco?]	- Cutê-que
Anzol			- Téblenintéu
Carne			- Umbli
Cachaça			- Gutuitê
Eu			- Paá
Matar			- Nagupim
Céu			- Cacuá
Espelho			- Amiumbúintió
Vamos comer		- Pruápicú
Dançar			- Pumoninglê
Ele quer		- Náunin
Roça			- Pú
Estrelas		- Candiêtê
Rio			- Gouráde
Água 			- Ungô
Frio			- Báemacline
Calor			- Abáeicáanglome
Bom			- Béde
Terçado			- Cop 
Jantar			- Págo-clan
Sal			- Caãnglo
Panela			- Ingúe
Mingau			- Oman
Deus			- Meuápãma
Dia			- Naringrô
Braço			- Ipá
Dedo			- Icrá-clã
Nariz			- Nindkú
Preto			- Có-facle
Um			- Puitii
Quatro			- Aclúro-né-aclúro
Fósforo			- Cuú-lê
Doce			- Oni
Mesa			- Penpó
Espingarda		- Cuitê
Cachorro		- Európo
Anta fêmea		- Cuclite indê
Sucuri			- Culi
Veado			- Cáro
Arco			- Cutê
Cacete			- Cou
Tarrefa	[tarrafa?]	- Téindêinteu
Farinha			- Tiuingrá
Vinho			- Oin
Tu			- Caá
Nós			- Mê bá páia
Furtar			- Naquin
Banho			- Patiuá
Vamos beber		- Puiicon
Eu quero		- Iman anon
Machado 		- Clamen
Batismo			- Nãmeclanguman
Chefe do pajé, que batiza - Mêacontchiú

Fonte: HURLEY, Jorge. Eu e o meu professor de apinagé. Revista do Instituto Historico e Geographico do Pará, v. 7, 1932, p. 237-44.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *